A Telegrafia

Publicado: 10/04/2011 por Airam - PU8ASR / PX8C1730 / PP8004SWL em Código Morse, CW, Telegrafia
Tags:, , , , , , , , , , , ,

Os radioamadores normalmente utilizam nas suas transmissões dois sistemas de radiocomunicação. Um deles é a radiotelefonia, ou simplesmente fonia (AM, FM ou SSB), onde a informação (ou mensagem) transmitida por meio das ondas de rádio é a voz. O outro sistema é a radiotelegrafia, ou simplesmente CW (continuous wave), onde a informação transmitida é formada pelos elementos do Código Morse (ou código Radiotelegráfico Internacional). Telegrafia, Código Morse e CW têm o mesmo significado.

É interessante frisar que o conhecimento prático da telegrafia (recepção auditiva e transmissão do Código Morse), para obtenção da licença de radioamador é exigida pelas convenções internacionais que regem o radioamadorismo. Tal exigência se deve ao facto de que nas situações difíceis, onde não é possível a transmissão de mensagens em fonia, ainda se conseguem satisfatórias comunicações em CW, as quais utilizam uma menor potência, proporcionam um maior alcance e são muito menos afetadas pelas interferências. Muitos radioamadores não acham necessário a imposição da prática de CW para as provas de radioamador, realmente, as coisas impostas não são muito bem-vindas, mas o propósito aqui não é discutir a importância ou não da telegrafia e sim compartilhar informações valiosas com o colega leitor deste artigo, sobre esta fabulosa modalidade de radioamadorismo que apesar de toda a tecnologia existente ainda é utilizada por muitos, incluindo forças militares ao redor do globo.

O Código Morse foi idealizado em 1837 pelo cientista norte-americano Samuel Finley Breese Morse. Nesse sistema, as letras do alfabeto, os algarismos arábicos e os sinais de pontuação encontram-se representados pela combinação adequada de dois tipos de sons ou sinais: um breve e um longo. Deste modo, é possível formar-se palavras e frases inteiras. A comunicação radiotelegráfica consiste, então, em enviar sinais da estação transmissora até a receptora, utilizando-se as ondas de rádio como veículo.

Um dos métodos para se aprender o Código Morse consiste em convidar um outro colega que esteja também interessado em aprender (afinal quem usa rádio não se comunica consigo mesmo, seja qual for a modalidade), para que ele o ajude na prática dos exercícios de aprendizagem. Será demonstrado mais adiante um processo prático de estudo do Código Morse. Não existe melhor processo, que aquele a que você melhor se adapte.

Como dissemos, o Código Morse é formado pela combinação de dois tipos de sons, colocados em intervalos convenientes, para produzir outros sons diferentes, os quais, por sua vez, são usados para identificar cada uma das letras do alfabeto, os algarismos arábicos e outros símbolos e sinais convencionais de uso geral.

Os tipos de sons são apenas de duas espécies, um curto, o qual chamaremos de di e outro longo, o qual chamaremos de dah. Os sons têm duração diferente, o de curta duração corresponde ao ponto, e ao de longa duração, ao traço no alfabeto morse.

Trataremos o código não como pontos e traços, mas sim como sinais, para tornar a compreensão mais fácil e agradável. A origem do timbre dos sons é uma oscilação de áudio frequência de mais ou menos 800 Hz.

O som di é a frequência que se ouve durante um espaço de tempo curto, de mais ou menos 1/3 de segundo, e que utilizamos como unidade, para comparar os tempos dos sons curtos e longos. O som longo não é mais do que um som curto prolongado e que se ouve pelo espaço de tempo, mais ou menos 1 segundo, ou seja, três vezes mais longo que o som curto.

Cada símbolo do alfabeto Morse é chamado elemento, quer seja curto ou longo. Um ou mais elementos formam sinais (letras, números e outros símbolos especiais). Estes, por sua vez, formam palavras ou abreviaturas. O ritmo da manipulação vai determinar a velocidade de transmissão.

Referimo-nos ao sons curtos (di) e longos (dah) pois são os que mais se parecem com o som Radiotelegráfico ou oscilação de 800 Hz. Portanto, adotamos tais expressões sempre que nos referirmos aos sons breves e longos, respectivamente. Poder-se-á comprovar esses sons utilizando um oscilador para prática, de CW.

O estudo do Código Morse deve ser feito, se possível, de maneira metódica, é como aprender uma outra língua. No início pode parecer difícil, impossível, desesperante, mas com o tempo habituamos os nossos ouvidos, é aí que a coisa toma sentido. Tenha disciplina, estude os sons diariamente por um período máximo de 1 hora, fazendo intervalos de 15 a 30 minutos, assim irá habituar-se aos poucos. Se sentir cansaço nos primeiros exercícios, após 15 minutos de prática, não continue, deixe para o dia seguinte. Isso é comum no início, porém não perca um dia que seja, de prática. A insistência é factor muito importante, não apenas na telegrafia, mas também em qualquer outro tipo de estudo.

A seguir, temos o alfabeto Morse e os números, com os seus significados reunidos de maneira simples, para uma fácil aprendizagem. Quanto aos sons que significam outros sinais especiais, será necessário aprender apenas cinco deles por enquanto:

Sons

Significado

Dah di dah di dah

“atenção” sendo utilizado antes de iniciar uma transmissão.

Dah di di di dah

“hífen duplo”, usado para iniciar uma transmissão.

Di di di di di di di di

“erro”, quando se comete um erro na transmissão de uma palavra.

Di dah di dah di

“fim de frase” ou “fim” de mensagem, indica que terminou um parágrafo.

Dah di dah

“convite a transmitir”, usado quando se termina um parágrafo.

A tabela abaixo representa os sons relativos a letras e números:

GRUPO N.º 1

dit E
di dit I
di di dit S
di di di dit H

GRUPO N.º 2

dah T
dah dah M
dah dah dah O

GRUPO N.º 3

di dah A
di di dah U
di di di dah V

GRUPO N.º 4

dah dit N
dah di dit D
dah di di dit B

GRUPO N.º 5

di dah dah W
di dah dah dah J

GRUPO N.º 6

di dah dit R
di dah di dit L

GRUPO N.º 7

di dah dah dit P
di di dah dit F

GRUPO N.º 8

dah di dah K
dah di dah dit C
dah di dah dah Y

GRUPO N.º 9

dah dah dit G
dah dah di dit Z
dah dah di dah Q

GRUPO N.º 10

dah di di dah X

GRUPO N.º 11

di dah dah dah dah 1
di di dah dah dah 2
di di di dah dah 3
di di di di dah 4
di di di di dit 5

GRUPO N.º 12

dah di di di dit 6
dah dah di di dit 7
dah dah dah di dit 8
dah dah dah dah dit 9
dah dah dah dah dit 0

Examine a tabela, observe a distribuição dos sons correspondentes a letras e números. Tente aprender apenas pelo ouvido, terá mais instruções posteriormente de como memorizar de maneira prática e rápida.

Construa um oscilador para prática de CW, ligue-o a um manipulador e inicie seus estudos. Accione o manipulador de acordo com a tabela, mantendo um padrão entre sons longos e curtos. Se você tiver um rádio de ondas curtas, procure ouvir algumas estações de radioamadores na faixa dos 40 m, compare os sons com os que você produz.

Accione o manipulador primeiramente produzindo sons breves, exatos e completos, tal como soa a palavra di. Pratique bastante esse som di, até que tenha certeza de que está soando corretamente e no seu tempo correto.

Faça o mesmo com o som dah.

A maneira prática mencionada acima para a aprendizagem é a do método mnemónico, ou seja, a um sons é associado um determinado significado, por exemplo:

Som

Som associado

Letra A = di dah

É A

Letra B = dah di di di

BA TA TÁ DA

Letra L = di dah di di

VEM CÁ LI LI

Letra F = di di dah di

FA CUL DA DE

Letra V = di di di dah

VOU VI A JAR

Letra G = dah dah di

GUA RA NI

Letra J = di dah dah da

JA CA RAN DÁ

Número 3 = di di di dah dah

XI XI NA FRAL DA

Número 4 = di di di di dah

PE GA PRA CA PÁ

Número 5 = di di di di di

PE GA PRA CA PI

Bem, isto foi só um exemplo de como tornar o estudo mais agradável e fácil, sem muitos traumas. Procure criar seu próprio método, comparando com outros sons que você está habituado a ouvir ou que seja mais fácil para sua compreensão. Antes de terminar, cabe-me avisá-lo que o CW é um vício que não tem cura.

Agora, após ter adquirido prática nas letras e números, complete seus os seus conhecimentos com outros sons (sinais) utilizados pelos radioamadores de todos os países.

Caracteres especiais:

Ponto

( . ) di dah di dah di dah

Vírgula

( , ) dah dah di di dah dah

Dois pontos

( : ) dah dah dah di di di

Ponto e vírgula

( ; ) dah di dah di dah di

Interrogação

( ? ) di di dah dah di di

Exclamação

( ! ) dah dah di di dah da

Parêntesis

( ) dah di dah dah di dah

Aspas

( ” ) di dah di di dah di

Hífen

( – ) dah di di di di dah

Sinal de igual

( = ) dah di di di dah

Sublinhado

( ___ ) di di dah dah di dah

Traço de fracção

( / ) dah di di dah di

Apóstrofe

( ‘ ) di dah dah dah dah di

Dólares ou cruzeiros

( $ ) di di di dah di di dah

Porcentagem

( % ) di dah dah di dah di dah

Separação (entre inteiros e fracção)

( 1 1/2 ) di dah di di dah

Todos estes sinais são utilizados nas comunicações em telegrafia, alguns com menos frequência, mas o seu conhecimento é necessário para se efectuar um comunicado, mais adiante, terá um exemplo de como é feita uma comunicação em CW.

A seguir, temos mais uma tabela com sinais de uso corrente:

Sinal de segurança

(TTT) quando transmitido três vezes dah dah dah

Socorro

(SOS) di di di dah dah dah di di di

Chamada geral

(CQ) dah di dah di dah dah di dah

Atenção (transmitido 3 vezes)

(VVV) di di di dah di di di dah di di di dah

Separação ou interrupção

(BK) dah di di di dah di dah

Comunicado de posição

(TR) dah di dah di

De

(DE) dah di di di

Espera

(AS) di dah di di di

Prossiga (convite a transmitir)

(K) dah di dah

Erro

(EEEEEEEE) di di di di di di di di

Recebido

(R) di dah di

Compreendido

(VE) di di di dah di

Fim de mensagem ou frase completa

(AR) di dah di dah di

Fim de transmissão

(VA ou SK) di di di dah di dah

Mensagem de perigo

(DDD) dah di di dah di di dah di di

Sinal de urgência

(XXX) transmitido 3 vezes dah di di da (x 3)

Abreviaturas diversas:

Existem abreviaturas muito utilizadas pelos radioamadores nas comunicações radiotelegráficas, principalmente as realizadas com outros países. Algumas delas de uso mais comum, estão relacionadas na tabela abaixo, junto com os respectivos significados. Esses códigos são, geralmente derivados de palavras da língua inglesa, vejamos alguns exemplos:

FB é uma abreviatura da expressão Fine Business, usada para indicar uma coisa boa, um bom negócio.

OM é a abreviatura de Old Man, e significa colega, amigo (radioamador).

RCVR provém da palavra Receiver, cuja tradução é receptor.

SN vem da palavra Soon, que quer dizer cedo, em breve.

TKS é a abreviatura de Thanks, significa obrigado.

Abreviatura

Significado

ADR

Endereço Postal

RCVR, RX

Receptor, Recepção rádio

AGN

De novo, outra vez

RPRT

Reportagem

CALL

Chamada, Indicativo

SIGS

Sinais (de rádio)

CFM

Confirmar, confirmo

SN

Cedo, em breve

CQ

Chamada geral

SRI

Eu sinto, eu lamento

CUL

Até logo

SWL

Rádio Escuta (onda curta)

ES

E

TMW

Amanhã

FB

Excelente, óptimo, bom

TNX, TKS

Obrigado, agradecido

FER

Por, para, pelo

TU

Agradeço-lhe

FM

De, desde

TVI

Interferência em TV

GB

Adeus, até breve

U

Você, tu

GE

Boa tarde

UR

Seu

GM

Bom dia

VY

Muito

GN

Boa Noite

WKD

Trabalho, Trabalhou

HI

Risada (telegráfica)

WX

Tempo (meteorológico)

HPE

Espero

XMTR, TX

Transmissor de rádio

HR

Aqui

XTAL, XTL

Cristal de quartzo

HW?

Como me escuta

XYL

Senhora, Esposa, Mulher

NW

Agora

YL

Senhora (Solteira)

OM

Amigo, colega

73

Saudações e abraços

PSE

Por favor

88

Carinhos e beijos

R

Recebido

99

Não interfira

Como é Realizada uma Comunicação em CW:

Observe um pequeno exemplo de como se realiza um comunicado em telegrafia entre duas estações situadas em países diferentes. Para isso, será de grande valia as tabelas apresentadas anteriormente.

Como norma geral, de início é aconselhável escutar toda a zona destinada ao CW, na faixa em que vamos transmitir. Por exemplo, se quisermos fazer um QSO na faixa de 15 metros, deveremos dar uma rápida escuta na região compreendida entre 21.000 a 21.450 kHz. Se, por acaso, ouvimos uma chamada geral (CQ), poderemos atender. Entretanto, vamos supor que não ouvimos outros radioamadores chamando CQ, ou não nos interessa por uma razão qualquer atender aqueles que chamam geral. Então, no mostrador (ou dial) do nosso receptor (RCVR), procuramos uma Frequência desocupado da faixa, ou seja, uma região em que não haja nenhum radioamador a transmitir e ajustamos a sintonia do transmissor nesse ponto. Em seguida, podemos ligar o estágio final do transmissor e irradiar o CQ. Isto significa que desejamo-nos comunicar com qualquer radioamador, sem preferência, para esta ou aquela estação. Vamos ao QSO de CT2FUQ com uma estação qualquer de Angola: CQ CQ CQ DE CT2FUQ CT2FUQ CT2FUQ K

Bem, CQ é a abreviatura internacional de “chamada geral”; deve ser repetida três vezes, seguida da palavra “DE” e do indicativo da nossa estação (CT2FUQ), que também deverá ser repetido três vezes; por fim, é enviada a letra “K” (dah di dah). Quando é colocada no final de cada chamada, a letra K significa: “por favor, transmita”, sendo seu uso recomendado para depois do CQ, ou então no fim de cada mensagem durante um QSO, quando não há objecção para que outros colegas se façam presentes. Se algum radioamador captar a chamada, poderá contestar o nosso CQ e estabelecer um QSO, caso lhe interesse. Supondo que nossa transmissão foi captada em Angola (África), pela estação de radioamador com indicativo D2U; então, ela poderá nos contestar mais ou menos assim: CT2FUQ CT2FUQ CT2FUQ DE D2U D2U D2U AR

O indicativo da estação chamada é repetido três vezes, seguido da palavra “DE” e do indicativo da estação que chama (D2U), também repetido três vezes. O sinal AR, isto é, um “A” e um “R” manipulados sem intervalo (ou separação) entre letras (di dah di dah di), significa “final de mensagem”, indicando que não há mais nada a comunicar neste momento, e que passará a ouvir apenas. Chegando assim a nossa vez de transmitir, poderemos fazer da seguinte maneira: D2U DE CT2FUQ = GE OM ES TNX FER UR CALL = UR SIGS RST 599 RST 599 = QTH VIALONGA VIALONGA = NAME JOÃO = HW? D2U DE CT2FUQ KN.

Omitindo-se os prefixos, esta mensagem pode ser traduzida mais ou menos assim: “boa tarde, colega, e obrigado pela sua chamada. Recebo os seus sinais RST 599. Minha estação está localizada em VIALONGA. Meu nome é JOÃO. Como recebeu a minha mensagem? Transmita unicamente você”. O sinal de igual (=), correspondente aos sons (dah di di di dah), é usado para separar assuntos independentes de uma mesma mensagem. A abreviatura “HW?”, usada no fim da mensagem significa: “como me escuta?”, “como recebeu meus sinais?”. O símbolo KN que dizer: “transmita unicamente você, excluindo as demais estações que estão na escuta. Alguns radioamadores acham que essa é uma forma pouco polida de passagem de câmbio.

Continuando o QSO: CT2FUQ DE D2U = R GE OM JOÃO ES TKS FER QSO = UR SIGS RST 599 599 = QTH ANGOLA ANGOLA = NAME FALCÃO FALCÃO = WX CLDY ES COLD HR 6C = AR CT2FUQ DE D2U

Tradução: “recebida toda sua mensagem; boa tarde amigo JOÃO e obrigado pelo QSO. Seus sinais recebo perfeitamente legíveis, com intensidade aceitável e tonalidade de corrente contínua pura. Minha estação está localizada em ANGOLA. Meu nome é FALCÃO. O tempo está nublado e frio; a temperatura aqui é de 6 graus centígrados. Fim da mensagem; transmita unicamente você”.

Com relação às condições meteorológicas do tempo, adopta-se os seguintes termos da língua inglesa: CLOUDY, ou abreviadamente CLDY (nublado); COLD (frio); SUNNY (sol brilhante), WARM (calor), etc. A letra “C” é usada como abreviatura de “graus centígrados”, quando se menciona a temperatura.

Contestando D2U: D2U DE CT2FUQ = R TNX FER PPRT FM ANGOLA OM FALCÃO = WX SUNNY ES WARM HR 32C = QRV? = AR D2U DE CT2FUQ KN

Tradução: “recebi tudo; muito obrigado pela reportagem de Porto amigo MANUEL. Quanto ao tempo, faz sol e calor; aqui a temperatura é de 32 graus centígrados. Você tem alguma coisa para mim ? Fim da mensagem; transmita unicamente você”.

Agora a volta de D2U: CT2FUQ DE D2U = R OM JOÃO = TNX FER QSO = 73 GOOD LUCK ES HPE CUAGN SN = AR CT2FUQ DE D2U VA

Tradução: “tudo recebido amigo JOÃO. Obrigado pelo óptimo QSO. Abraços, boa sorte e espero encontrá-lo novamente. Fim da mensagem, fim da transmissão”.

Despedida: D2U DE CT2FUQ = R TNX FER QSO = 73 FALCÃO GE GB = AR D2U DE CT2FUQ VA

Tradução: “recebi tudo; obrigado pelo QSO. Saudações e abraços amigo FALCÃO; boa tarde, até breve. Fim da mensagem, fim da transmissão”.

Depois de terminado o QSO, devemos ficar na escuta por alguns instantes, na mesma frequência a fim de atendermos as chamadas que porventura nos sejam feitos por outros colegas. Numa certa madrugada, após trabalhar a Alemanha, fui chamado por um colega da Finlândia e em seguida por um colega da Grécia. Se não for atender outras chamadas ao final transmita CL. Não esqueça de anotar o QSO no livro de registos próprio, como manda o regulamento.

Não somos os autores deste artigo, apenas achamos por bem cuidarmos para que o mesmo fosse divulgado e inserimos algumas informações extras no mesmo objetivando complementá-lo. O verdadeiro auto deste artigo é CT2FUQ.

Gostou deste artigo?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s